Home / Notícias / Qualidade de vida e mobilidade.
Qualidade de vida e mobilidade.

Qualidade de vida e mobilidade.

É fato que os brasileiros que vivem nos grandes centros urbanos do país sofrem com a mobilidade precária dessas cidades. A falta de planejamento e o amplo crescimento do número de carros nas ruas são as principais razões para que as pessoas percam boa parte do dia no trânsito.

O problema é que uma mobilidade ruim tem diversas influências na vida do indivíduo, além da perda de tempo. Por isso, é fundamental descobrir maneiras para melhorá-la e assim aprimorar também a qualidade de vida dos habitantes. Neste artigo, veremos quais são os efeitos de uma má locomoção e como podemos contribuir para que ela seja mais favorável.

Como a mobilidade afeta a qualidade de vida?

O tempo que se passa no engarrafamento é um dos pontos negativos mais lembrados quando se fala de mobilidade em cidades grandes, como São Paulo. Gasta-se horas para chegar de uma região a outra e boa parte do dia vai embora no ir e vir dos habitantes.

Uma pesquisa de 2017 feita nessa cidade, a maior do país, constatou que o paulistano demora, em média, duas horas para fazer sua atividade principal do dia, como trabalhar e estudar. Em uma semana, são dez horas perdidas.

Alguns tentam morar relativamente perto do serviço para facilitar o trajeto e passar menos tempo no trânsito. Mesmo assim, se os trabalhadores vão de carro ou transporte público, acabam demorando mais do que deveriam para chegar aos seus destinos.

Dessa maneira, a qualidade de vida é afetada, porque o tempo que eles poderiam estar em casa descansando, estudando ou até mesmo passando mais tempo com a família, eles estão no engarrafamento.

Além disso, ficar parado dentro de um veículo esperando para chegar em algum lugar causa bastante estresse e cansaço. No caso de indivíduos que têm que enfrentar o trânsito para chegar ao trabalho, essas são péssimas consequências, pois eles já iniciam os serviços deles cansados e irritados.

Funcionários que devem fazer um grande trajeto para iniciar o dia de serviço também rendem menos que os que estão mais próximos fisicamente da empresa. Afinal, esses fatores, como a fadiga e o mau-humor, influenciam negativamente na produção do colaborador.

Como podemos ver, a saúde mental e física do habitante de uma metrópole é bem afetada pela estrutura ruim de locomoção. Diversos especialistas e moradores já perceberam esse problema e, preocupados com a qualidade de suas vidas e dos outros, pensam em maneiras de aprimorar o deslocamento dos indivíduos nesses espaços.

Sendo assim, algumas ideias são colocadas em prática diariamente para que a mobilidade não seja um problema na cidade grande ou, pelo menos, para que não seja um tão grave. No próximo tópico veremos quais são elas!

Como melhorar a mobilidade?

Empresas, governos e a população, em geral, estão tentando achar formas de melhorar a mobilidade em cidades que têm muitos habitantes, como São Paulo e seus 12 milhões de moradores. Existem diversas opções para trajetos e objetivos diferentes. Vamos descobrir quais são?

Carros compartilhados

Se a distância a ser percorrida não é tão pequena, a pessoa pode optar por pegar uma carona por aplicativo. Algumas marcas já oferecem essa alternativa que pode ter um impacto muito positivo no tráfego de veículos.

Em vez de cada um ir com o seu carro para o mesmo destino (ou lugares próximos), compartilha-se a viagem e, assim, são menos automóveis nas ruas. Para encontrar quem mora perto e faz um trajeto semelhante ao seu, basta se inscrever no aplicativo e preencher seus dados.  

Não precisa se preocupar com a segurança de oferecer ou aceitar uma carona, pois as empresas permitem que você use filtros e escolha se quer viajar somente com pessoas da sua firma ou do mesmo gênero, entre outros.

O pagamento é feito diretamente pelo aplicativo, que tem como objetivo diminuir custos do trajeto e aprimorar o trânsito. Por isso, geralmente, o motorista tem um limite de viagens que pode conceder por dia.

Bicicletas

As ciclovias e ciclofaixas dão a oportunidade de não utilizar um carro ou o transporte público aos indivíduos que têm um caminho relativamente curto para trilhar. Com uma bicicleta, eles são capazes de chegar tranquilamente aos seus destinos, sem perder tempo no engarrafamento, sem estresse e, ainda, sem poluir mais o ar da cidade grande.

Além da mobilidade mais rápida e da melhora da saúde, o custo de ir e voltar dos afazeres de bicicleta é mais barato se comparado ao carro ou ao uso do transporte público. Não é necessário comprar uma bicicleta para usá-la todos os dias, porque há aplicativos de compartilhamento do veículo também.

A marca mostrará para você onde há uma bicicleta disponível, você faz seu percurso e a devolve em uma estação ou em algum lugar que não atrapalhe o trânsito, dependendo da empresa que estiver utilizando.

Para quem não quer fazer muito esforço físico, há a opção do equipamento elétrico. Porém, é importante lembrar que ele exige que o usuário pedale para funcionar. Então, pode ser que a pessoa fique suada e até um pouco cansada, de acordo com o tamanho e o tipo do trajeto.

Patinetes elétricos

Assim como a bicicleta, o patinete elétrico pode ser usado nas ciclovias e melhora bastante a mobilidade no dia a dia. A velocidade dele chega até 30 km/h, mas deve-se prestar atenção ao limite da via, que pode ser menor. Você pode ter o seu próprio patinete ou alugá-lo.

Ele é interessante para quem tem que fazer um caminho relativamente curto e precisa ir ao trabalho de terno, vestido ou saia, por exemplo. Além disso, não é necessário fazer esforço físico e, por isso, não há perigo de ficar suado durante o trajeto.

Do mesmo modo que a bicicleta, ele não polui o ambiente e diminui ainda mais o número de veículos no tráfego. Para o usuário, como não há trânsito, não tem estresse. O cansaço e desconforto de transportes públicos ou de veículos que pedem força física desaparecem e a qualidade de vida aumenta consideravelmente.

A mobilidade está diretamente ligada à qualidade de vida dos habitantes dos grandes centros urbanos. É complicado se locomover nesses espaços, porém, como vimos, é viável mudar o jeito de se deslocar e aprimorar juntamente o seu bem-estar.

E para você, qual deles é o melhor? Não deixe de ler nossas notícias para saber mais sobre locomoção!

x